16 de dez de 2012

E se?

E se todas as lágrimas, por não existirem, fossem evaporadas?
E se o hoje fosse apenas uma ilusão do ontem com cores vivas?
E se nada além da nossa imaginação fosse realidade?
E se amanhã vocês descobrissem que é tarde demais?
E se todos nós soubéssemos que temos o mesmo destino?
E se esse destino fosse o fim, e um fim autêntico, como o de tudo?
E se nesse fim, compartilhássemos do mesmo sentimento?
E se esse sentimento fosse limpo e nos libertasse do medo?
E se os abraços fossem apertados e os beijos quentes?
E se a ilusão de uma vida eterna fosse corrompida?
E se, por não termos ilusão de vida eterna, vivêssemos?
E se, ao se aproximar o fim, deitássemos com a consciência limpa?
E se fechássemos os olhos e não mais acordássemos?
E se ?
E se não?