30 de ago de 2011

Velhas telas

John Pitre
                                                    Palavras velhas que envolvem poemas
                                                     Intitulando a lama que encobre o brio
                                                   Não são as metas e as metáforas e elas
                                                     Falta a vela, bela chama, falsa ideia,
                                                   Sob os ismos de nossos eus, que vão
                                                  na superfície insensível dos olhos cegos
                                                   A leitura é fria, fugaz, inépta e vaidosa
                                                     Intransigente, o rolo que rola e fecha
                                               A tela que não tem tinta, nem arte nem vida.
                                                                                              
                                                                                                                     Lida a poesia?


13 de ago de 2011

Seco sol


Beyond - John Pitre
Não sei a poesia das aventuras
O sol, ele entra seco e insinua
Que tudo lá fora é imaginação
Aqui dentro as ansias são puras

2 de ago de 2011

A história que não entra na sala

Penteio os sonhos enquanto eu falo
Com ouvidos desatentos resvalam
Nas palavras que buscam, embalo
Concluo que laicos estados matam


Os sonetos na marra vêm, os calo
Forças revolucionárias que faltam
Para que os versos saiam do solo
Distante dos paradigmas se calam


Faltam ainda no meandro cortado
Ensinamentos que fujam das leis
Colocado nas insidias e imputado


Estampado vem, diabo divulgado
Aquele que ri de seus reles fieis
Sem tempo falsa fé ganha o dado


é lá do Google