29 de ago de 2012

Lirismo dos signos

John Pitre - Explorers
A educação carrega uma dose considerável de lirismo. A cada palavra proferida, com o objetivo de atingir uma jovem ou incipiente mente, várias ondas de questionamentos cruzam-se com o sentimento apressado, a ânsia do sucesso, a acomodação nas palavras de Piaget.
E nessa pressa de se fazer entender, confrontam-se ideologias, métodos e inexperiências justas. Como matéria da poesia temos a lágrima do desespero, do desprezo, de não ser ouvido, de ter o ensinamento corrompido.
As palavras, os signos como chuva, que molham e muitas vezes não lavam, são as mais potentes armas, que devem ser escolhidas e bem lançadas, como a flecha, sem volta!
Amar e educar, sinônimos, apenas naqueles que respiram o lirismo de almejar conhecimento, tão libertador, tão envolvente. Mesmo nos conflitos e horas de fraqueza, ser o educador fraternal, o amigo que tem mais do que simples palavras, tem a possibilidade da mudança.

Faria mais por esse amor, não fosse o desejo de também ser amada. Quem sabe a poesia me traga, um pouco da esperança de Freire e a certeza de Sartre.

Cristiane Felipe



21 de ago de 2012

Veneninhos

Os pensamentos, que desejo expor claramente, vêm à língua como uma onda de veneno.
E tudo que era revolta passa a ser resignação; e a dor, essa só passa quando acendo a luz.
From Google