22 de jan de 2014

Latente e doente

Gravura de Carlos Vergara - artista brasileiro.
Não há um único dia em que não penso por que seguir em frente.
O dia e o sol e o calor e a ignorância e o medo e a dor e a finitude...
Não é que o mundo tenha uma imagem apenas para meus olhos,
não é que o fel da melancolia tenha comprometido meus sentidos,
o que há é a maldade do homem, a ilusão em que ele está imerso.
Olhos veem, corações não sentem, ninguém entende, a alma morre.