29 de out de 2008

A tal poesia

Um dia lerei sobre aquilo que escrevo hoje
talvez não serei feliz por isso, mas sinto que devo
O reduto de meus anseios é interno e escasso ébrio.
De todas as rimas escolho versos desconexos
não contente, não deixo ninguém ler
Cabe a mim transformar essa confusão em plano
este fervor em criatividade.
Pinta lua e sol, estrela e amanhecer, não parece familiar
Tenho uma outra área ainda a descobrir
um ignóbil espaço de tempo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário