26 de set de 2012

O encontro inimaginado

Estavam os dois em pé, de mãos dadas, perto do portão de saída, simples mortais. Para mim uma visão, a princípio, insignificante, partindo para surreal alguns segundos depois.
Os óculos escuros cobriam aqueles amados olhos azuis. Ela, a presença feminina, contornada de simplicidade, mas com a maior das riquezas ao seu lado, nos tornavam infimamente semelhantes.
Não podendo explicitar o sentimento contido, abri meu estreito léxico, soltei palavras mecanicamente organizadas com antecedência ao evento, mas que, esperando serem utilizadas apenas algumas horas depois, com menos pessoalidade, saíram com delicada lentidão, foi uma surpresa que me exigiu frieza e atitudes ainda não conhecidas.



e essa história pretende continuar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário