18 de jan de 2016

A propósito de uma saudade (ao meu irmão Rafael)


















Às vezes o dia novo que se foi
Em que o vento vinha de outro lado,
Em que a luz do sol se mostrava diferente,
Em que a temperatura não era de verão,
Em que o coração clamava por explicação,
Em que tudo parecia ter notas de saudade,
Em que a saudade fazia parte sem saber,
Em que os jovens idos sopram seu perdão,
Não sei se o que tenho é bom ou ruim.
Não sei se posso ser melhor ou pior, enfim.
Não há poesia que exprima a sensação.
Não há lágrimas que já não tenham caído.
O mundo é o mesmo, talvez só eu que não.
Em um dia como este, a música me alivia,
Trazendo um eco antigo de uma vida nova
Tentando mostrar, ou não, que estou ainda
Aqui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário