21 de set de 2009

Notas fúnebres

Num dia qualquer que acabaria em chuva
Dançava o tempo e brincava o destino
Soava o badalar duma hora triste e surreal
As lágrimas afogariam várias almas,
e noites vazias percorreriam anos afora...
Não há data para dissipação desse erro.

3 comentários:

  1. Sim, datas impertinentes afora...

    ResponderExcluir
  2. Sim, é como se fosse uma cidade
    tão pequena, quase nada
    naquele dia tão todos afobados
    o sino, as lágrimas, as almas

    Hora triste e surreal, a vez
    do salto, mas não saltar, selar
    o compromisso e lavar o destino
    daquele tempo na marca da carne

    ResponderExcluir