24 de nov de 2013

Um novo ser a cada amanhecer

         Queria a cada dia ser um novo, um novo sem perder o máximo de mim mesma. Não ter a imprudência de nadar no fogo que queima as esperanças, nem ter o medo de mergulhar profundamente em busca dos corais mais coloridos. E ser a reinvenção do melhor que há em tudo, com a força que não se acha em quase nada.
          Queria ser eu mais explicitamente, descoberta pelo espelho que há tanto se nega. 
Não ser o pobre nem o rico, a fama ou o anonimato, ser como a estrela que brilha hoje e só se vê o brilho  através do tempo imensurável. A música e o vinho que estão nas mãos dos deuses, a tempestade e a calmaria.
          Queria ser o paradoxo, que se secasse na chuva fina, ainda assim ser a simples figura denotativa.
Poderia ser se não fosse tão difícil se reconhecer, pois ainda não sei e sinto que preciso saber, ainda que as origens sejam o pó de tudo que existe, queria moldurar a mais bela das singularidades.

Cristiane Felipe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário