19 de jun de 2011

Sob os desejos I

Pensei em como descrever o desejo
Antes que abusasse de palavras sujas
Falar do calor que desprende o suor
Bocas buscando-se instintivamente
As línguas e o entrelace das pernas
Sentimentos despidos de segredos
A pele como órgão suscetível e ativo
E o gozo que não tarda no lábio macio,
Se fosse dizer dos gemidos, a ansia
De todas as mudanças que inundam
Daquilo que é e não é literal, só sexo
Retirando da sala o amor, extase só.
Qual a palavra que te excita ao escutar?
Fuder
Trepar
Amar?
E só depois que a luz e o cigarro acenderem
Entender que no deleite, o dito e fantasiado
Definem quem somos apenas sob lençóis.


3 comentários: