11 de nov de 2016

Como se fosse uma balada de amor...

Não tenho mais medo de jogar tudo pro alto
quebrar esses segredos
Depois catar os cacos todos que ficarem
Te dizer adeus e sorrindo
Bye, Bye meu amor

Te dei tudo e você nada me deu
Apaguei a luz você  acendeu
Mas nada iluminou, nem precisou
Mesmo sem a luz eu vi que acabou

Quero um amor latente, diferente
inocentemente doce, inconsequente
Ter novos nomes, falar ao telefone
Desmarcar-te de tudo que a vida marcou

Filosofar barato ouvindo violão desafinado
Contar histórias que não sejam de amor
Nessas horas esquisitas me perder do que sobrou

Quero virar esquinas e apagar versos que te fiz
e que você nunca cantou...

Te dei tudo e você nada me deu
Apaguei a luz você  acendeu
Não diga que tem um querer por vaidade
Vai e viva tua vida, pra nós: liberdade!




Nenhum comentário:

Postar um comentário