23 de nov de 2016

Não sei mais o que dizer nem o que pensar



Vai, me diz pra onde ir
Não vou mudar em nada, mas quero te ouvir
Os desejos da noite são incertos
A manhã chega fechando livros abertos

Não, não, não venha pra cá
Não procure o que não quer achar
Os discos são velhos
Nossa música sempre vai tocar

A sorte e a espera da morte
Quem são inimigas nessa vida?
Engenheiros ou Legião?
Vamos cantar qual refrão?

Só me diz o que tenho que fazer
Mesmo que eu não ouça, vou querer
Os desejos de uma tarde de janeiro
O ócio e o calor me vestem por inteiro

Separei uma coisas usadas
Poucas verdades guardadas
Quase um mês de pensamentos
Em malas cheias de sentimentos

A sorte e a espera da morte
Quem são inimigas nessa vida?
Engenheiros ou Legião?
Vamos cantar que refrão?


2 comentários: