21 de jun de 2009

Onde o desejo tem nome


Queria que as linhas que atravessassem nosso tempo, deixassem marcas no meu e em seu rosto.

Onde a música tocasse alta eu pudesse ouvir apenas sua voz e nada impedisse nosso abraço.

Os cabelos desarrumados, os fatos e as roupas, cenários pessoais de amor e loucura que perseguidos achados, vividos louvados.

Queria compartilhar do seu tempo, do seu porre, te deixar na cama, onde você pudesse dormir sobre meu peito sem me deixar piscar os olhos.

Ver o azul radiante de seus olhos eternamente, banhando os pés nas águas do mar, do rio, da chuva...

Sonhar os seus sonhos e acordar dentro de um deles, seria meu vício, contar e amar os minutos, admirar seu jeito.

Não sei por que quero, apenas quero, são chamas presunçosas que me queimam nesse desespero.

Apenas uma noite, uma hora não sei, algo liga sua boca aos meus sentidos me fazendo voar, e nem tudo é poeira.

Amo querer, não descanso minhas pernas, elas correm através das nuvens, no trailer desse filme insano.

Um comentário:

  1. Esse é um dos posts que eu mais gosto, diz muito sobre um momento.

    ResponderExcluir