26 de jun de 2009

Tenho mais medos

Sinto em mim um movimento lento
luzes se apagam e se acendem, tristes
meus lamentos são solitários, contínuos...
Nem minha voz meus ouvidos aguentam

Tentando escapar dessas "autotorturas"
mergulho num vasto mar de emoções
pérolas valiosas soltam-se de meu tesouro
Aqui ensino como me olhar, não me olho.

São tantas nuvens pela manhã pela janela
as grades protegem as almas ingênuas
não se salvam todas as memórias, fluem
conquisto mais tempo ao lado da família

Sou alvo fácil da alienação de meus anseios
as novas asas pintadas em minha pele
as novas asas são imperfeitas, mas minhas
Silenciosamente interiorizo meus medos.

9 comentários:

  1. Lindo poema
    linda intimidade

    Lindas cores

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. e não se salvam todas as memórias mesmo!!!

    Luto em vão...
    as lembranças fogem, parece
    antes de sete dias, rss.

    O poeta Chacal já dizia
    a loucura é um sopro no ouvido
    atualismos são tempestades!

    Prefiro sempre o agora
    que nunca acontece antes de chegar
    a mínima pena amortece o tempo

    ResponderExcluir
  3. Belo sussurrar de absurdidades essenciais...

    ResponderExcluir
  4. Grande comment, Bardo,
    essencialmente categórico,
    logo após, feliz dia,
    porém risíveis visitas,
    outros que li noutros blogs,
    tão quão ou mais absudidados.

    Vai vendo, Cristiane

    ResponderExcluir
  5. mais um poema digno de prêmio
    o/
    mto mto bom
    meus parabens.
    maneira especial e textualmente agradavel de "enxergar" / "abordar" o medo...
    parabens mesmo..
    bom retornar aqui . . .
    ufff...
    e enfim atualizei o..
    www.bocadekabide.blogspot.com
    espero-t lá...como sempre...
    no sentido de tempo viow xD~
    fuie..abraços e ótima sexta!

    ResponderExcluir
  6. E n'este dia, agora...
    estou com mais medos, enfim
    porque resolvi calar-me.

    ResponderExcluir
  7. minha amiga

    estou de volta aqui em barcelona..

    é um prazer estar no teu blog..

    belo poema... mas..... sem medos nunca....

    um abraço

    braulio

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  9. (...)"as novas asas são imperfeitas, mas minhas"

    Lindo, Cristiane!

    Agradeço pela companhia, ainda que em versos, as vezes o silêncio, assusta...

    Beijos, e semana de luz a ti!

    ResponderExcluir