4 de fev de 2009

O agora depois da chuva


O momento é este, lento, só as horas voam, mas meu tempo...
A chuva findou-se extravagante e fugaz, saudades.
Ociosidade que não traz inspiração, convém apenas abanar este calor.
Calor que não efêmero, me põe no mundo de Espronceda
Talvez não pelo tormento apenas pela intensidade.

8 comentários:

  1. "depois da chuva" é o meu clima preferido :)
    Costumo chamar de pós-chuva
    Bjs

    ResponderExcluir
  2. xD to vindo aqui por livre espontânea vontade, nada de "obrigação". eu to vindo pertubar gratuitamente mesmo =P`

    enfim, legal o texto, ja pertubei gratuitamente...então, bjokas ^^d

    ResponderExcluir
  3. que beleza que intensidade... assim nem há chuva que de medo...
    um abraço....

    ResponderExcluir
  4. Adorei seu bog!
    Os belos poemas e as imagens mais belas ainda.

    www.casadobesouro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. oi... saudades.. abano o calor intenso

    ResponderExcluir
  6. oi adoreirei as suas poesias
    entao desidir participar
    bjsssssssss

    ResponderExcluir
  7. Gostei dos versos, parece uma previsão do tempo poética da nossa campo grande.
    Vou acompanhar seu blog

    www.palavraderedator.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Cristiane! Tudo bem?? Gostei muito do que escreveu. Adoro chuva, é vida! Um sentimento de partida, de coisas que se foram, coisas que ainda virão, talvez...

    Foi um prazer passar por seu mundo.
    Muito prazer, Danilo! Beijos =**

    ResponderExcluir