10 de fev de 2009

Poeminha


Que hora confortável...
Faltou-me apenas um cigarro.
Na correria que se expande ao meu redor
não sinto pressa alguma, estou estável.

Poesia pede beleza invejável, admirável,
mas meu momento é rotineiro
Sou caneta, papel, sombra e pouca cor
Respiro lentamente, penso no improvável

Branco e preto, não preciso muito mais
Só o que me cerca de preocupável
é que o ar esteja respirável, meus amores vivos
meu corpo leve e meus olhos fechados.

2 comentários:

  1. QUe poema gostoso de ler, simples e belo....

    ResponderExcluir
  2. bravo.... belas palavras com intensidade..animo na poesia..
    parabens..

    ResponderExcluir