10 de fev de 2009

O homem que sabia voar


Desde pequeno, no limiar de seus 7 anos já pedia para sua mãe:

_ Quero estar no alto com os pássaros, viajar lá em cima...

Sem dar muita atenção a mãe dizia:

_ Estude então, quem sabe você não se torna um piloto de avião!

Não, não era isso que o menino queria. Ele sonhava com asas, mas só queria planar pelo céu, sua intenção era essa.

Lá pelos seus 20 anos de idade ele já sabia voar, aprendera em um dia, que não existem regras específicas bastava se soltar.

Aprendeu que como o super-homem ele poderia voar.

Colocava o capacete e a joalheira, e saia de sua árvore com destino à pista.

Todos o achavam louco, sempre com um paraquedas nas costas, pois era prevenido, sabia que era possível um dia acabar seu combústivel.

Sua viagem era incompreensível para um humano sem sensibilidade.

O homem sabia que poderia cair mas mesmo assim jamais deixou de sonhar.

Pelo símbolo máximo da liberdade, era por isso que ele lutava.


--------

Bem, simbolismos à parte, o foco não é o vôo e sim quem "voa", pois ele consegue o desprendimento de tudo o que é supostamente previsível e lógico. O personagem contraria as leis da física, ele é pura "ficção metafórica"... Então, obrigada mais uma vez se você chegou até aqui.


3 comentários:

  1. todos queremos dar esse vou .liberdade.. felicito cristiane.. gostei

    ResponderExcluir
  2. oi..de nada, entendi o que você quis dizer (porém posso ter entendido errado) mas acho interessante o sonho, quando é algo racional, quando é um fato possível, sou bastante racional até certo ponto niilista. Mas parabéns pelo texto.

    ResponderExcluir
  3. Eu gostei da parte que ele "andava com um paraquedas nas costas, pois era prevenido". Achei cômico a humildade de um super-homem que sabe ser capaz de não ser tão "super" assim

    www.palavraderedator.blogspot.com

    ResponderExcluir