16 de abr de 2009

Procurando meus sentidos


Já faz um tempo que não me vêm ideias novas

tento trabalhar as velhas para não enferrujar

já que o tempo corre tão depressa e eu quero ir

chegar em alguma lugar seguro para meus temas


Quero desbravar a realidade, recorrendo ao sonho

tornar mais colorida as páginas que me permeiam

soprar os alienados ventos do romantismo

aprender com erros alheios, os consertando


Sou novel no campo impermeável das boas trovas

capítulos lidos pela metade já completam meus nãos

sofro na busca inanimada das rimas que fecham coblas

contemporanizo os sons que parecem eloquentes


Vão todas as edições de meus amores pro papel

mesmo os que têm lacradas suas aparências

e são eles que me erguem, sustentam e derrubam

Busco na vicissitude das semanas, a beleza.


Um comentário:

  1. Até quando não se tem idéias ou inspiração, um bom poeta consegue fazer com poucas idéias e palavras um belo poema... Você fez isso!
    E novas idéias vão brotar... pode esperar.

    Beijão.

    ResponderExcluir