19 de mar de 2009

Apenas um grande bloco de frustração


Aquilo que venhamos a nos tornar é fruto de hoje
o hoje que não te acaricia, não te dá pé na profundidade
Acho que mesmo na tenra idade, somos capazes de prever
que venhamos a ser fruto do mal que tivemos ontem.
Pra mim não importa se o rádio toca, eu não escuto
a televisão ligada só me traz mais medo e pessimismo
Mesmo tentando ser o que gostaria, sou fruto de hoje
um fruto amargo, levemente amadurecido e descorado.
Não tenho explicação para os súbitos lampejos de dor
acho que são reflexos das minhas mentiras honestas
Menti até para mim e achei que fosse sair impune desta
Vendo a intensidade de um filme b me revi na tela.
Que ilusão, somos frutos de ações alheias e próprias
da chuva fina e do sol forte...
Preciso buscar remédio pras minhas inaptidões
que se multiplicam em cada frase de um grande autor.
Pretendo no amanhã não estar lendo algo velho
quero pular a fase da incompreensão
Voltar a ser árvore frutífera de cores vivas
não mais ser fruto caído sem utilidade no chão.


6 comentários:

  1. olá bom dia

    pula divino tesouro....

    fruta madurinha

    és ouro

    um abraço....

    ResponderExcluir
  2. "Eu estou perdido" -
    eis, semente que apodrece
    no fruto caído.

    ResponderExcluir
  3. profuno ,Cris. palavras para refletir...mas pra falar a verdade ,tenho medo de fazer isso
    e me pegar pensando;pensando que tudo está perdido... é melhor fingir que não.
    linda essa tua prudência.
    saludos pra ti.
    Anita.

    ResponderExcluir
  4. Intenso...
    O que fazemos sempre gera consequências, e o que os outros fazem também. E nem sempre pensamos nas consequências quando estamos no ato, é animal (é humano/Instinto).
    E, ironicamente, ás vezes a tristeza nos faz bem... Pois ali vemos o que não visualizavamos no Ato... este, é regra. E então se cria uma nova forma de agir, que se renova, e renova e renova...

    Beijão.

    ResponderExcluir
  5. Oi Cristiane!
    Estou sorteando 5 trabalhos meus. Depois da uma olhada lá no meu blog
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. hagusheuahsueha

    é, todos temos esses amores platonicos...
    rsrsrs

    "Vendo a intensidade de um filme me revi na tela"

    Eu ando lendo umas coisas de psicanálise e cinema, e dizem que a gente, quando vê um filme, funciona como se fosse uma sessão com um psicanalista, a diferença é que nossos monstros se libertam, e depois voltam às telas novamente...

    =]

    Beijos!!!!

    ResponderExcluir